Sinceramente não consigo entender porque os jornalistas diplomados estão tão desesperados por conta da não exigência do diploma para o exercício da profissão. Aliás, entender eu entendo, não passa de um corporativismo estúpido, além de restritivo. Além de ser o medo de ter alguns não diplomados com capacidade maior que os diplomados, pois, como em qualquer área do conhecimento, existem os bons e os maus profissionais. Os únicos preocupados com isto devem ser aqueles que não se garantem.

Mas não é este o meu objetivo, incomoda-me ouvir argumentos estúpidos, como ouvi na televisão de uma professora da UNB, dizendo que, agora, qualquer um pode ser jornalista, um pedreiro pode ser jornalista. É a maior besteira que alguém pode dizer, um sofismo ingênuo? Ingênuo nada. Será que um pedreiro pode ser um jornalista? Conversa mais sem noção, se um pedreiro pode ser jornalista, afirmado por uma professora, ela mesmo desconsidera tudo que aprendeu como útil? Não, claro, é apenas uma retórica safada. Afinal, todos podem ser jornalistas, desde que tenham competência para tal.

Exceto profissões que colocam em risco vidas humanas, as demais não exigem diplomas, ou não deveriam. Qualquer um pode ser físico, químico, matemático ou escritor. Vamos ao caso dos físicos, alguém aí conhece algum físico enchendo o saco porque não é necessário um diploma de Física para ser físico? Se um sujeito conseguir desenvolver alguma teoria nova para descrever um fenômeno, de forma coerente, comprovada, etc, terá seu trabalho publicado. É bem verdade que ele terá mais trabalho para isto, mas pode. E nem por isto estamos vendo uma profusão de pedreiros desenvolvendo novas teorias cosmológicas ou quânticas. É simples, quem não estudou física não consegue fazer isto. Será que Jornalismo qualquer imbecil consegue fazer sem ter um mínimo de formação? É isto que os próprios jornalistas pensam?

O que eu acho interessante nesta questão é ver jornalistas se esperneando com medo de perderem seus empregos, talvez seja a consciência de que fazem um péssimo trabalho que poderá ser substituído por um outro profissional menos qualificado, afinal, qualquer um que conheça minimamente a nossa língua poderá obedecer ao patrão e escrever o que ele manda, só que mais barato. Basta ver a quantidade de jornalista escrevendo justamente o que mandam os donos da mídia; se não precisa pensar, para que pagar pelo diploma? Mas, na verdade, a não exigência do diploma permitirá uma maior profusão de notícias, comentadas ou não, nos lugares que os diplomados e engomados não querem aparecer, permitirá o livre exercício da expressão. Qualquer um, que tenha capacidade, poderá gerar uma pauta para um jornal qualquer, mas só um muito bem treinado poderá cobrar caro para fazer o que o patrão manda.

Leave a Reply

(required)

(required)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

© 2015 Alexandre Guimarães Suffusion theme by Sayontan Sinha