Ultimamente tenho pensado muito naquela estória que diz que Jesus ficou 40 dias no deserto sendo perturbado pelo demônio. Abstraindo o fato de que satanás na verdade é um termo usado em hebraico para descrever um adversário, oponente (satan), podemos tratar como se fosse o conceito que temos atualmente, um capeta, coisa ruim mesmo. Será que Jesus foi pro deserto só para ser tentado por isso? Será que Jesus foi para o deserto para resolver seus problemas com o seu maior adversário, seu satanás, seu ego?

Acho que não somente isso. Na verdade, ando tendo as mesmas vontades, mas não de encontrar um coisa ruim que ficasse fazendo aquelas maldades que os cristãos fizeram com bruxas na idade média. Mas alguém que debatesse com sustentação lógica e questionamentos os meus pensamentos que não sei se são certos, um satanás com uma tremenda retórica e silogismos bem estruturados a ponto de derrubar todo e qualquer argumento mental. Ou seja, gostaria de me encontrar com um satanás de verdade, por quarenta dias num lugar sem gente falando merda, trazendo problemas que eu não sei ou posso resolver e, o mais importante: sem mosquitos. Esse foi o lance de Jesus, se mandar para ficar longe de pessoas e mosquitos. Férias de verdade. Naquela época era terapêutico buscar o demônio para aliviar os pensamentos, hoje, no lugar dos demônios, temos os psiquiatras, psicólogos, psicanalistas e muitos vendedores da milagrosa indústria farmacêutica.

Sorry, the comment form is closed at this time.

© 2015 Alexandre Guimarães Suffusion theme by Sayontan Sinha